Angkor Wat – sobre spas arqueológicos, templos, bicicletas e árvores gigantes

Angkor Wat era um dos três must-do que eu tinha para a viagem (os outros eram full moon party e Lumbini), ele é o maior complexo religioso do mundo, estendendo-se por mais de 400 quilometros quadrados e alguns filmes como Tomb Raider e Indiana Jones foram filmados lá. Mas ele entrou mesmo na lista, porque eu imaginava uma coisa meio Ducktales, templos magníficos, ruinas misturadas com árvores, uma coisa arqueológica meio mágica.

ducktale wannabe

Então, quando não conseguimos tirar o visto da Índia sem mudar nossas passagens aéreas, tomamos o rumo de lá, saindo de Bangkok (mais detalhes a travessia no post Missão: Cruzar a fronteira entre Tailândia e Camboja)

quando estavamos planejando a viagem apareceu esse quadrado gi-gan-te, do tamanho de uma cidade, no google, atiçando meu instinto ducktale

Melhores momentos

foto clássica do templo principal refletido no lago

mapa do complexo

pessol até casa lá

Bayon, um dos templos principais

local pescando em frente ao Bayon (tinha peixinhos, caranguejos e até uma enguia no rolo)

Bayon - templos dos 1000 budas

princesa lara croft fugindo das ruinas entre as raizes das arvores

as escadas dos templos são estreitas para dificultar a subida pq os templos não eram pra serem um lugar a ser visitado a torto e a direito, por isso tem q subir de ladinho (essa é a escada pra ver o por do sol em cima do Phnom Bakheng)

galera esperando o por do sol em Phnom Bakheng, outra foto clássica

vista de Phnom Bakeng

ta phrom e sua decoração ecológica

imagina como era quando redescobriram o complexo de templos (ele ficou abandonado durante guerras e o dominio do khmer vermelho)

ta phrom, outra possibilidade de decoração com arvores

princesa, mostrando como se usa o krama, lenço típico do Cambodia

que tal ler um livro sobre Angkor Wat em Angkor Wat?

grupo de música típica composto por pessoas mutiladas por minas terrestres

Dicas

Alugar uma bicicleta – é muito legal, custa 1 dólar o dia inteiro de aluguel, mas tem que ter pique, nós andamos cerca de 24 km dentro do complexo e estimamos mais uns 8 km na cidade (indo e voltando pro hotel)

senhorinha cambodiana andando de bici com seu krama pra refrescar a cuca

Pôr do sol no fosso – primeiro vimos o por do sol em cima do templo pop pra ver o pôr do sol – Phnom Bakheng, foi bonito mas bem cheio, mas foi bem mais legal ver o por do sol perto da entrada do complexo, refletido no fosso de Angkor Wat.

por do sol e bicicletas

ficou assim mesmo, nao tem photoshop

Souvenirs – tem pessoas vendendo de tudo por lá e é mais barato que na cidade: pinturas, bolsas, livros, cartões postais

bolsas feitas de material reciclado de sacos de arroz

sabe quando você pôe um relevo em baixo do papel e passa giz de cera pra copiar? essas cópias de esculturas das paredes dos templos foram feitas assim

comprei uma copia dessa parede por 1 dólar

Krama – altamente recomendado levar o krama pra se proteger da poeira ou pra por na cabeça andando de bicicleta

Preços

Uma vez em Siem Reap é muito fácil ir pra lá, todos os hoteis tem tours, pq é a maior atração da cidade, também dá pra ir de tuk-tuk e bicicleta.

A gente contratou um tour de um dia (mais ou menos 60U$) de uma agência modernosa e simpatica chamada Beyond Unique Escapes, onde contratamos também a aula de culinária e compramos passagem pra Vientiane.

http://www.beyonduniqueescapes.com/

A entrada no templo é meio salgada para padrões asiáticos, mas é um preço justo por todo o projeto de restauração e estrutura que eles tem lá. Dá pra comprar o ingresso pra um dia (20U$), 3 dias (40U$) ou 7 dias (60U$) – os últimos podem ser seguidos ou não-consecutivos).

Compramos o passe de 3 dias, mas fomos só 2, devido a motivos de força maior. Até dá pra ir nos templos principais em um dia, mas o lugar é basicamente um parque (ou um spa arqueológico, como o nosso guia dizia), dá pra ir fazer piquenique, ler livro na grama – não é todo dia que você pode ler um livro sentado na grama de um palácio do século XII, né?), ver o nascer e o por do sol, andar de elefante, de bicicleta, além de ver os templos, então acho que é legal pra quem tem tempo comprar um passe maior.

Achados virtuais

Nesse blog tem uma descrição bem legal de 3 dias de visita, com bastante fotos e muuitos templos: O Andarilho – Templos de Angkor Cambodia
Blog que fala sobre os prós e contras do por do sol em Phnom Bakheng Holiday in Angkor Wat

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s